Busca

Rede de Divulgação

Noticia

Fintech destina mais de R$ 250 milhões em empréstimos para microempreendedores

Parceria do Mercado Livre na oferta de crédito a uma base de 18 mil usuários cadastrados, BMP Money Plus conta com inteligência de negócio para alavancar empresas


São Paulo | 01/03/2018


O universo das financeiras parece, à primeira vista, simples. Ele é formado por empresas que oferecem crédito a quem possa pagar o valor diluído em parcelas acrescidas de juros. Porém, nem todos os players desse universo pensam e agem desse jeito.

É o caso de Carlos Eduardo Benitez, CEO da financeira BMP Money Plus. Após trabalhar anos como executivo do setor bancário, o economista decidiu aproveitar o crescimento da internet e fundou, em 1999, uma plataforma de financiamento de automóveis, que intermediava bancos e clientes.

Apesar da boa ideia, o negócio foi engolido pela famosa "bolha da internet" e, como a maioria das empresas daquele período, não deu certo. Desiludido com a área tecnológica, ele montou uma empresa de intermediação de crédito que, em 2009, tornou-se instituição financeira no Banco Central.

Porém, as possibilidades crescentes do universo online, bem diferente do que ele atuou, ainda empolgava Carlos. "Dois anos atrás percebi que o mercado de tecnologia cresceu, mas notei que empreendedores e investidores cometiam os mesmos erros que eu em 1999", recorda o empresário.

Certo de que era o momento de voltar, em 2016 ele adquiriu uma participação em uma empresa de tecnologia para que pudesse desenvolver modelos adaptados às necessidades do cliente e impulsionados pela velocidade digital - ou, como ele prefere dizer, fazendo uso da "inteligência do negócio".

"Entendemos que não é apenas a tecnologia que faz o negócio funcionar. O mais importante é aplicar uma inteligência dentro dela, facilitando o processo para nosso cliente e para os clientes dos nossos clientes", explica Carlos, salientando que isso vai além do que normalmente as financeiras oferecem.

"Somos diferentes de um banco, que só quer saber quanto vai emprestar, quais são as garantias e quando receberá o dinheiro", compara. "Nossa proposta, quando somos procurados por uma empresa, é entender o que podemos fazer para que o negócio ande melhor do que está agora. Não é um discurso só comercial, mas também de parceria".

Para ele, o erro de muitos empreendedores é fazer o empréstimo sem planejamento ou apenas para tapar um buraco. É preciso saber como usar o dinheiro para fazer com que o negócio cresça. "Eu quis virar instituição financeira para tomar as decisões ao invés de seguir as decisões. E com isso poder usar a inteligência do negócio para enxergar as dificuldades dos clientes de outra forma e ajudá-los".

Ampliando os horizontes

A visão diferenciada da BMP Money Plus acabou chamando a atenção do Mercado Livre. "Eles já pensavam em entrar para o mercado de crédito, e viram em nós um parceiro estratégico, com capacidade de acompanhar a velocidade de intermediações já reconhecida pelos seus usuários", afirma Carlos.

"Quando o cliente decide que precisa do crédito, ele já está à disposição - sem a necessidade de ligar para um gerente de conta que vai pedir atualização de cadastro e só responder dias depois. O processo eletrônico se dá em segundos", diz.

O sucesso da nova empreitada pode ser conferido em números. Durante os seis meses de teste em que o Mercado Livre ofertou crédito no Brasil, foram contabilizados 250 milhões de reais em empréstimos feitos por 18 mil usuários cadastrados.

Agora, a expectativa é que a BMP Money Plus continue crescendo. Após dois anos consecutivos dobrando de tamanho, Carlos espera que em 2018 o quadro se repita ou até mesmo melhore. O quadro nunca foi tão promissor.